Tinder: O App da paquera que está todo mundo comentando

Testamos o aplicativo e te contamos o babado

tinder

Tinder, o app de online dating lançado em 2012 nos EUA acaba de chegar ao Brasil e já está virando febre. Resolvemos baixar também e entrar na brincadeira – e olha, nos divertimos muito!

Convivendo com amigos gays, já estavámos familiarizadas com a mecânica desses aplicativos, já que para esse público há MUITAS opções, como o Grindr, o Hornet, o Scruff e até o Brenda (que é só para as meninas). Mas realmente, faltava uma opção decente para os héteros e o Tinder se adequa a todas as opções sexuais.

Se o Tinder serve para achar seu próximo namorado? Seu próximo fuck friend? Não garantimos, mas a gente te joga a real nessa listinha abaixo ;D

1. Como funciona


O Tinder é como uma mistura de Grindr (porque funciona por geolocalização e vai mostrando quem está perto de você) com Bang With Friends (porque você dá Like nas pessoas e só se ela te curtir também você fica sabendo). Ao baixar o app ele puxa dados do seu Facebook para traçar o perfil – mas não se preocupe, ele não publica nada a não ser que você queira (HAHA até parece né?).

2. Você só tem 5 fotos para se diferenciar

O Tinder deixa você escolher uma foto de perfil e outras quatro, e isso é tudo que você tem para mostrar sua personalidade e se destacar. Fuçando no app, vimos também que a maioria das pessoas caem nos seguintes padrões para mostrar que são legais:

  • Fotos de viagem: Todo mundo que já foi para o exterior algum dia na vida vai deixar isso claro – e já existe até um Tumblr zoando fotos em Paris, Tinder e a Torre.
  • Fotos praticando esportes – especialmente os radicais: No Tinder a regra é clara e todo mundo que um dia já surfou na vida vai colocar uma foto com a prancha e aquela roupa coladinha MÁRA. Também tem bastante opção de caras andando de skate, pulando de bungee jump, fazendo snowboarding…
  • Fotos com animais: Pode ser só o cachorro de estimação ou até animais exóticos – o que é ainda mais estranho. No meu Tinder, já vi caras segurando lagartos, iguanas, abraçando golfinho e até chimpanzé bebê (what?!).

Creio que esse comportamento nas fotos é meio instintivo e por isso vira clichê. Eu mesma, antes de dar um rolê vendo os boys, preenchi meu perfil e coloquei uma foto da viagem pra Londres, outra fazendo tirolesa na Patagônia e a minha foto com o Caco, o Sapo (será que um Muppet conta como animal?).

3. É muito divertido ver um catálogo de pessoas


Uma das coisas mais legais do Tinder é a diversão de “folhear” uma lista sem fim de “pretendentes” – e ver cada tipo sem noção que aparece por lá. Sim, a gente achou vários bonitinhos pra dar Like, mas o mais engraçado é ver os caras nada a ver e mandá-los embora, como um joguinho. O próprio movimento do touch é de descarte quando você passa para o próximo, e isso dá uma certa satisfação esquisita.

4. Você pode ser tão superficial quanto quiser!

Sabe quando um cara nada a ver chega em você na balada e, mesmo sendo uma chateação é preciso dar um fora educadamente? Então, no Tinder você pode julgar à vontade, fazer todos os comentários que quiser e ninguém nunca ficará sabendo! Que delícia! Afinal, não precisa se enganar, isso aqui é um aplicativo com um monte de fotos de boys, todo mundo está julgando e sendo julgado pela aparência (basicamente é um game de “Hot or Not”) – e não há nada de errado com isso!

5. O Tinder é anti-rejeição e anti-chateação


O App não deixa você chegar mandando um “How you doin’?” pros boys, mas também te poupa daquele constrangimento de ninguém te responder. Além disso, o Tinder também te poupa de caras desinteressantes puxando papo (imagina a versão hétero de “E aí, tem local pra real?” Credo…).

6. Não é possível saber quantos Likes você ganhou

Eu queria MUITO saber quantos likes eu ganhei, mesmo que não pudesse saber quem curtiu. Infelizmente isso não é possível (a Carol disse que eu terei de esperar lançarem uma versão só para Leoninos, rs!), você só é notificado quando rola Like entre você e o cara.

7. Rolam situações engraçadas, tipo encontrar conhecidos

E estamos guardando prints! Aliás, várias pessoas com quem conversamos estão guardando e compartilhando prints de seus conhecidos, então cuidado pra não pesar a mão no biscatismo do seu perfil, hein? Pense no Tinder como um segundo Facebook, só que com propósito diferente.

8. Também rolam situações constrangedoras, tipo alguém com 28 amigos em comum


Chegamos a conclusão por aqui que é melhor evitar dar like nos boys com muitos conhecidos, no máximo alguns amigos distantes e fora do nosso cotidiano. Mas cada um pode criar suas próprias regras, claro.

9. Depois do Match, os chats são um pouco tímidos e/ou lentos


Talvez as pessoas ainda não estejam habituadas a lidar com esse tipo de app, ou talvez porque ninguém deixe o Tinder ligado o dia todo, mas nossas conversas aqui não fluiram muito além de alguns “ois” e “o que você faz da vida?”.

Mas não se preocupem, conforme for rolando a gente relata nossas experiências! E se alguém quiser contar a sua aqui também, é só mandar pra gente!



Tags , , , , , , , | 1 Comment

One thought on “Testamos o aplicativo e te contamos o babado

  1. Tenho uma experiência ótima pra contar sobre o Tinder: no segundo dia de uso desse app, rolou um “match” entre eu e um rapaz, começamos a conversar, e desde então nos falamos todos os dias durante hooooooras, descobrimos inúmeras coisas em comum e até já marcamos um encontro, heheh :) por enquanto o app está cumprindo sua função.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>